• Angélica Ribeiro

Iconologia: uma forma de ler imagens

Para o crítico e historiador de arte alemão Erwin Panofsky, o qual escreveu o livro Significado nas artes visuais, uma obra de arte possui três componentes básicos: a forma, o tema e o conteúdo, ou seja, a composição da obra, o que ela efetivamente mostra e o todo o contexto que envolve sua produção. Sendo assim, a eloquência de uma obra reside no equilíbrio entre os três componentes.

Pautado nisso, Panofsky apresenta uma forma de leitura de imagens, a qual possui três níveis de apreensão: a descrição pré-iconográfica, a análise iconográfica e a interpretação iconológica. A este processo denomina-se método iconológico de leitura de imagens.

A descrição pré-iconográfica diz respeito à forma, e é a fase da leitura na qual denominam-se as características factuais e expressionais observadas na imagem, ou seja, tudo que se vê claramente exposto na composição da obra. Essa primeira fase ocorre a partir das experiências práticas do próprio leitor da imagem e corrige-se a partir da história dos estilos de produção artística, pois conhecendo os estilos, entende-se como historicamente as coisas eram expressas em formas.

A análise iconográfica trata das convenções sobre os significados das imagens, suas narrativas e suas alegorias. Esse segundo momento da leitura desenvolve-se a partir do conhecimento de bases literárias que possam ambientar o leitor com o tema e com os conceitos da obra. As correções nessa fase se dão pela história dos objetos e dos fatos diretamente relacionados à imagem analisada. Dessa maneira, entende-se a mensagem da obra.

Por fim, a interpretação iconológica visa situar a imagem analisada em tendências gerais de seu tempo e de seu local, ou seja, nesta última fase de leitura imagética, visa-se entender os princípios gerais manifestos na obra (valores simbólicos) e os significados intrínsecos na sua produção. Essa interpretação se dá pelo entendimento intuitivo das tendências da mente humana e corrige-se pelo conhecimento dos sintomas culturais, dos símbolos e de como estes eram expressos.

Assim, com essas três etapas, Panofsky escreve um método pelo qual parte-se de uma imagem e caminha-se até uma compreensão ampla de seu contexto, e desse modo demonstra o valor da arte para a história mundial.




Referência: PANOFSKY, Erwin. Significado nas artes visuais. Tradução de Maria Clara F. Kneese e J. Guinsburg. São Paulo: Perspectiva, 2014. (Debates; 99/ dirigida por J. Guinsburg)