• Angélica Ribeiro

Moda e arte: profissão, carreira e expressão pessoal


A dragqueen e influenciadora digital Valerie concede entrevista para o blog Angélica Ribeiro a respeito de seus conhecimentos sobre a moda e as relações da moda com a arte.




(Angélica Ribeiro) Olá, tudo bem com você? Em primeiro lugar, você poderia se apresentar aos leitores do blog e explicar ao público sua relação profissional com a moda?


(Valerie) Olá pessoal, me chamo Valerie e além de ser dragqueen também sou podcaster, youtuber, instagramer, tik toker e dona de casa nas horas vagas (inclusive me sigam nas redes sociais @dragvalerie). Eu atualmente não estou tão ativa no ramo da moda, mas tenho graduação em Design de Moda pela PUCPR e já atuei desde empresas de estamparia até agências de modelo, então eu já vi e já passei por vários processos da indústria.

(Angélica Ribeiro) O que é a moda? E por que ela é mais relevante para o mundo do que algumas pessoas imaginam?


(Valerie) Na minha visão a moda é a expressão do ser (quem você é) sem precisar dizer nada além do que suas roupas contam por você através da semiótica. Para entender a importância da moda é bom nós voltarmos lá atrás quando ela surgiu na idade média como forma de diferenciação dos nobres em relação aos burgueses. Desde seu início esse fenômeno chamado moda tem o intuito de diferenciação, mas com o passar dos tempos ela foi pegando outras faces e diversificando o seu potencial de transmitir mensagens. Atualmente a moda tem tantas possibilidades que é muito difícil você dizer: Moda é isso e ponto final! Ela é utilizada como forma de expressar a história de um personagem em um filme através do figurino, é uma forma de expressar suas crenças e estilo de vida (como é o caso da moda punk ou da moda evangélica), também pode ser usada como protesto (a estilista Zuzu Angel é um ótimo exemplo de luta contra a ditadura através das vestimentas), pode até ser o ponto de diferenciação entre dois candidatos concorrendo a uma vaga de emprego (mas essa questão para mim deveria ser melhor avaliada pelas empresas, pois os currículos nessa hora deveriam falar mais alto). Eu vejo que as possibilidades vão muito além de apenas se vestir para mais um dia, através da sua vestimenta ou figurino você pode contar uma história, protestar, chamar a atenção de um pretendente ou até mesmo se destacar em meio a multidão e construir toda uma carreira baseada na sua imagem.

(Angélica Ribeiro) As artes visuais fundamentam muitas profissões, inclusive trabalhos do mercado da moda. Sendo assim, como os elementos da linguagem visual (como ponto, linha, textura, forma e outros) contribuem para a criação de roupas e para todo o meio da moda?

(Valerie) Esses elementos são extremamente importantes principalmente quando falamos de estilismo e inovação. Tem uma vertente da modelagem (que é basicamente como modelar uma roupa para ela servir certinho no corpo humano) em que os padrões das roupas como conhecemos são totalmente desmontados e nas roupas surgem cubos, pirâmides, vórtices e tudo que você pensar pode ser criado e aparecer naturalmente só costurando as peças, sem precisar de estruturas de ferro ou algo do tipo. Um bom exemplo de exploração da mescla entre arte, música e moda é a Lady Gaga lá no início da carreira dela em que ela saia com uma lagosta na cabeça, um vestido de carte, abusava de roupas extruturadas, formas geométricas e tudo mais que expressavam quem a personagem dela era e onde ela queria chegar. Outro ótimo exemplo é a moda dos anos 60 que explorava demais a arte em estampas e até mesmo na modelagem das roupas, trazendo quadros e obras de grandes artistas (principalmente Mondrian) para o cotidiano das pessoas e modelagens totalmente diferentes para as peças do dia-a-dia.

(Angélica Ribeiro) Por vezes a história da arte e a história da moda dialogam entre si desde a antiguidade até os tempos atuais. Como você percebe essa relação entre arte e moda na atualidade?

(Valerie) Parece até piada, mas eu vejo que quem sabe explorar a ligação entre arte e moda são os próprios artistas, principalmente quando falamos dos midiáticos como cantores do universo pop. As minhas maiores referências são as cantoras americanas e bandas coreanas que exploram muito isso, no caso das bandas coreanas é muito visível o uso de arte nos videoclipes (inclusive tem alguns videoclipes que por si só são uma obra de arte em formato de vídeo) e nos figurinos que usam nos shows. Se tratando de figurino você pode ver ótimos exemplos de ciclos da carreira do cantor e como ele conta cada fase através da roupa aliada as referências artísticas que ele tem. Eu já citei a Lady Gaga aqui, ela é um ótimo exemplo principalmente no álbum ArtPop que carrega uma energia artística muito forte e referências como "em um segundo eu sou uma fã do Koons, de repente o Koons sou eu" que mostra como em um momento você é fã do artista e em algum ponto da sua vida você é o próprio artista criando a sua versão da arte. Para focar melhor na relação moda-arte na atualidade eu posso mencionar artistas e bandas como: Blackpink, Lady Gaga, BTS e Beyoncé que sempre carregam várias referências nas suas roupas não só de artistas renomados mas também de suas própria arte musical ou de outros artistas menores como acessórios ou peças de designers e artesãos que são completamente desconhecidos pelo público e por meio dessa plataforma que são os Idols ou cantores pop, conseguem alcançar mais público e ter sua arte reconhecida pelo grande público. É importante destacar que arte vai muito além de apenas um quadro no Louvre, ela fala sobre estética, propósito, semiótica, mensagem, política .. e várias outras coisas que vão além do que os nossos olhos percebem, então, você também pode ser o seu próprio artista através das suas roupas ou das suas obras.

(Angélica Ribeiro) Por fim, quais possibilidades profissionais uma pessoa que admira essa relação entre moda e arte pode seguir sob seu ponto de vista de conhecimento sobre o mercado da moda?

(Valerie) É engraçado você me perguntar isso pois eu acabei indo para um ramo que tem e ao mesmo tempo não tem relação alguma com moda, mas foi justamente por entender arte e moda que trabalho nessa área hoje em dia. Atualmente eu sou Diretora de Arte em uma empresa de tecnologia, a minha vida foi por um caminho que eu não esperava de jeito nenhum e os meus conhecimentos tanto de estética (graças ao curso de moda que também tinha disciplinas de história da arte) quanto de marketing (esse foi um ramo que eu estudei a parte) me ajudaram a conseguir essa vaga. Eu acho bastante importante essa questão, pois, se você fizer Design de Moda não significa que você só pode ser estilista ou costureira e se você fizer Artes não significa que você vai ser apenas pintor de quadros. Entre os ramos que eu vejo que tem muito dessa ligação eu posso mencionar: Estilista, Designer de Joias, Designer de Acessórios, Designer Têxtil, Marketing de Moda, Vitrinista (inclusive assistam Cruella, lá tem uma ótima cena sobre a relação entre o artista/vitrinista e quem é apenas vitrinista), Visual Merchandiser, Produtor de Moda e Fotógrafo. Todas as profissões que eu citei precisam sim que o profissional tenha conhecimento de arte e estética para que o produto ou serviço sejam os melhores possíveis, é claro que nós estamos falando de uma indústria, então nem sempre você tem total liberdade artística mas existe sim essa abertura para que você possa colocar uma parte de você e da sua visão de arte dentro de um trabalho.

Eu já aproveito a abertura e a oportunidade para dizer que se você quiser saber mais sobre moda e a arte drag, é só me acompanhar nas redes sociais no @dragvalerie ! Nas minhas redes eu compartilho sempre tutoriais e meus conhecimentos de moda e marketing.